14-11-2008

UMA PRECIOSA DICA PARA A NOITE DE SEXTA

QUEM NÃO LÊ OS COMENTÁRIOS DO NOSSO BLOG,

NÃO SABE O QUE ESTÁ PERDENDO!!!

QUER SABER?

ENTÃO LEIA!!!

LUZ

Posté par Simone Nejar à 23:44:21 - - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , ,

CAÇA ÀS BRUXAS ESCANCARADA NO TRIBUNAL

            Atenção, atenção! Agora liberou geral...agora vale tudo!

vale_tudo5

           Hoje o Tribunal de Justiça resolveu escancarar a caça às bruxas, abrindo sindicância contra os colegas Denior Machado e Sadao Makino, também representantes do Departamento de Informática. Aliás, este mesmo departamento está perdendo horrores de funcionários, a olhos vistos, colegas qualificadíssimos que estão prestando outros concursos e caindo fora. Só essa semana, o Tribunal perdeu dois expoentes na área para outros órgãos. Bem-feito!

ACA1EUAOSCAWGFPXPCAUZ89JZCABOBHU0CAXPGO2SCAXGM9KOCA335IBBCABYFNV3CA26H778CAKTA0SLCA6G5HZPCADOWIFZCA2E9VL1CA2E8BMLCAKEJQ52CAYW34O0CAQ8CFVZCAMS2WPU

         Pois os colegas Denior e Sadao são acusados de promover burburinho dentro do Departamento de Informática, organizando Plenárias e passando abaixo-assinados pelo Tribunal. Sem nenhum constrangimento, o Tribunal "de Justiça", novamente reeditando a Inquisição, relotou os colegas para a Corregedoria-Geral de Justiça. Lá, com certeza irão conhecer a nepote Adriana Barcelos da Silva, mulher do araponga Ivan Carlos Ribeiro. Embora os cargos dos colegas sejam da Informática, foram eles mandados para a Corregedoria, com certeza, para serem "corrigidos".

palmadas

         Estávamos nós em mais uma reuniãozinha pelega do Sindavestruz, quando os colegas Denior e Sadao se retiraram para a tal "reunião-armadilha" na Direção Geral. Digna de nota a conduta da direção do sindicato, que colocou dois seguranças vultuosos à nossa volta, para tentar intimidar nossas manifestações. O sindicato pelego, assim, demonstra sua postura perfeitamente sintonizada com a Administração do Tribunal, apelando para a baixaria, a intimidação e o apoio irrestrito à ditadura do Judiciário. Mostra, o sindicato, que defende o patrão que nos tortura. A resposta, colegas? Nunca mais votem naqueles traidores, que denigrem  a imagem dos servidores do Judiciário. Bando de safados!

Dickdastardly

         O Movimento Indignação vai denunciar a todos os meios de comunicação, às entidades de proteção e defesa dos direitos humanos neste país, à Organização Internacional do Trabalho e ao Ministério Público do Trabalho, todas as ilegalidades que estamos sofrendo. Agora, já somos quatro: Bira, eu, Sadao e Denior.

        Estão provocando, e vão levar o troco!!!

085_30_03_06_01 

Posté par Simone Nejar à 21:55:00 - - Commentaires [3] - Permalien [#]
Tags : , , , ,

CARRÉ DE PORCO, RECEITA DO DIA

            Bom dia!

           Hoje tive o desgosto de saber que alguns colegas meus, pessoas por quem tenho o maior apreço e respeito, estão sofrendo retaliações funcionais dentro do Tribunal pelo simples fato de terem sido vistas trocando palavras comigo pelas imediações do M.I.J. Pelo que fiquei sabendo, os arapongas nijentos (do Núcleo de "Inteligência") andam controlando até quem me dá um simples mas sincero "bom dia!"

CA5SQBDWCAX5985GCA487C24CAHOHWRCCAJMRWNMCA1CCUU9CA3GRP9NCA398RDBCA9N76OPCA6MVFVSCAXYRJBMCAKV34GKCAKF0ROTCA5MFSWSCABMMGX9CACMFUCRCALUYRDXCA3CSV7W

          Parece que estão querendo remanejar colegas por causa disso. Esclareço, antes de mais nada, que sou pobre mas limpinha; além de limpa, perfumada. Ainda há quem diga que sou bonita (e modesta, é claro!) Minha saúde é perfeita, não sou leprosa, não estou doente, e, mais, adoro cumprimentar, abraçar e conversar com as pessoas, principalmente com os meus colegas. Ao contrário do araponga cara-de-bunda, eu sou simpática.

CAKMGI2VCAX6I8WDCA02AOKYCA7GYFVZCANCW2OVCALIO6VWCAGK8EPGCATM9J32CARYIZGSCA9HTUCWCAK0QWRYCAFYLKJLCAIEY9CDCAVOZE9BCAYWUNKKCAVOTVRVCAO6URQMCAJZU0K2

         Então, vou deixar o meu recado: parem de assediar moralmente os meus colegas! Vamos parar com esse trenzinho da alegria, essas chefias comissionadas que se prolongam ad eternum tal qual numa Monarquia, dentro do TJ!

         E, como estamos chegando ao final do ano, hoje vou deixar uma receita super especial. Pretendo prepará-la em breve. Mas, por favor, não me apressem, porque, como já disse antes, vingança é um prato que se come frio.  Vamos à receita?

LETAO

         CARRÉ de porco embriagado

         Ingredientes: 1 cebola, 1 pimenta vermelha, 1 CARRÉ de porco, 2 colheres de sal, 1 colherinha de pimenta do reino, 1 garrafa de vinho branco, 2 dentes de alho, manjerona a gosto.

         Modo de fazer: retire do CARRÉ o osso, deixando somente os ossos da costela (ele vai ficar bem molinho). Tempere com o vinha d'alhos e regue com o vinho (ele vai ficar bem bebadinho). Faça de véspera!

         Arrume na assadeira, besunte com banha, cubra com papel alumínio  e leve ao forno (ele vai ficar bem cozidinho!)

         Sirva sob uma cabeça de porco assada com maçãs e acompanhada de SOPA DE CABEÇA DE ERVILHA.

          Bom apetite!

          VOLTAREMOS!

CARRE

Posté par Simone Nejar à 12:45:30 - - Commentaires [2] - Permalien [#]
Tags : , , ,

13-11-2008

Conversa pra boi dormir e criancinha bocejar

Outro não é o sentido da reiterada afirmação dos "negociadores" do Tribunal de Justiça, junto à Executiva do Sindjus, de que só pode definir o índice de reajuste a ser proposto após a votação do Orçamento pela Assembléia Legislativa.

A mais simples dona de casa, ou mesmo um matuto analfabeto criador de galinhas, sabe que, para se orçar uma despesa é necessário conhecer o valor unitário da mercadoria a ser comprada ou do serviço a ser pago. Se você tiver em mãos a leitura de seu consumo de água do último mês, mas não a conta, só é possível calcular o total a ser pago se conhecer o preço do m³.

O fato é que o total do orçamento a ser atribuído ao Judiciário só pode ser definido após a fixação de cada despesa. E não há como calcular o total da folha de pagamento sem antes determinar qual o índice de reajuste que será aplicado sobre ela.

Conseqüentemente, se existe proposta orçamentária a ser votada, é porque o índice já está determinado. Apenas não foi informado para nossos "ingênuos" dirigentes sindicais, até para que, votado o orçamento, e nele amarrada a possibilidade de despesa com salário, não haja negociação alguma. Já que, votado o orçamento, o reajuste a ser dado não poderá ultrapassar, legalmente, a despesa fixada.

Na verdade, o Tribunal manobra descaradamente para impor o percentual de reposição que bem entender, que certamente não chegará nem próximo dos 30% reivindicados imediatamente, e sequer passará por perto do restante da perda histórica. Caso contrário não estaria usando deste expediente.

As tais rodadas de negociação, em que a única coisa concreta, até o momento, é o ajustamento do valor do auxílio-refeição pelo IGPM anual em 1º de janeiro (nada mais que o cumprimento da lei que instituiu o benefício), não passam, portanto, de um triste e pobre circo.

Muito embora o ano esteja terminando, e a "mobilização" tenha arrastado por mais de três meses sem a deflagração do único instrumento capaz de garantir uma reposição salarial digna, a verdade, pura e simples, é que, diante da matreirice e autoritarismo do patrão, não há outro caminho para os trabalhadores da justiça a não ser a greve. Ao menos, é claro, que queiram perder mais R$ 70.000,00 (cálculo para os oficiais escreventes de entrância intermediária, salário básico), que nunca mais voltarão, nos próximos anos, e verem seu poder de compra afundar até o nível dos brigadianos e professoras do Estado.

Se a proximidade do final ano não permitir, é necessário, entretanto, a organização até março de 2009, de uma grande greve! Pois, mesmo votado e engessado o orçamento do próximo ano, é bom que se diga que, há cada período anterior, desde o último reajuste concedido, houve sempre a previsão orçamentária de praxe para recuperação anual da inflação (conforme manda a Constituição Federal e o Tribunal descumpre), ainda que nenhum de nós tenha visto a cor do dinheiro, que aliás não se sabe onde está... será que o gato comeu?

Posté par Ubirajara Passos à 13:20:59 - - Commentaires [4] - Permalien [#]
Tags : , , ,

CLANDESTINO, SIM!!!

NÚCLEO DE INTELIGÊNCIA

img12573

             Finalmente descoberta a gênese da chamada “Inteligência” dentro do nosso Tribunal. Tal “departamento”, se é que podemos chamá-lo assim, nada mais é do que uma extrapolação legiferante do então presidente José Eugênio Tedesco, em 2003. A Inteligência, arapongagem, escritório do Mário Fofoca ou como queiram chamar, é mais um monstrengo dentro da Casa.

elasf_mario

         

         Os seus integrantes pertencem à Polícia Militar e Civil. Não se tem notícia de servidores de carreira lá dentro. São, portanto, estranhos ao quadro funcional do Poder Judiciário. Nossos guardas de segurança, efetivos do Tribunal, ao que parece, são colocados apenas para zelar pela segurança do prédio e dos transeuntes. A segurança dos magistrados, bem como a arapongagem, por mais ridículo que isso possa parecer, é cometida a estranhos.

Scooby_Doo2_After

            O prêmio que ofereço para quem ler os artigos seguintes, transcritos do COJE e do Regimento Interno do Tribunal, será a exata compreensão do caráter de clandestinidade do tal núcleo. Não sei até quando o Presidente e seu séquito comissionado vão desprezar a “Prata da Casa”. Também não atino com o porquê de tanto CC na Equipe de Segurança. Um deles, mesmo, o tal Ivan, foi por mim denunciado por nepotismo, junto com sua mulher Adriana, que trabalha na Corregedoria. Sinto muito, querido, eu puxei o gatilho primeiro! Não é nada pessoal,  mas eu quero ver um colega meu ocupando o seu cargo de chefia, viu?

heman_orko

           Olhe para os servidores efetivos, Des. Armínio!!! Eles, sim, é que orgulham o Poder Judiciário, pois não precisam ser subservientes como a arapongagem fajuta. Comissionados são mandaletes e jamais denunciarão irregularidades, como eu fiz. Ou será que a intenção seria justamente essa?

334642

Clandestina é a Inteligência, sim, vejamos por quê:

ATO  N.º 08/2003-P

Dispõe sobre a criação do Núcleo de Inteligência do Poder Judiciário.

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, DESEMBARGADOR JOSÉ EUGÊNIO TEDESCO, no uso de suas atribuições legais, na forma do art. 32 do COJE (Lei nº 7.356, de 1º de fevereiro de 1980) e do art. 42 do Regimento Interno do Tribunal de Justiça, tendo em vista o contido no expediente nº 3516-0300/03-0, determina: 

Art. 1º – Fica instituído, no Gabinete da Presidência, e vinculado à Assessoria Militar, o NÚCLEO DE INTELIGÊNCIA DO PODER JUDICIÁRIO, composto pela UNIDADE ESTRATÉGICA e pela UNIDADE OPERACIONAL.

Art. 2º – O NÚCLEO será coordenado pelo Assessor Militar da Presidência e as UNIDADES serão compostas por Servidores Públicos do quadro, ou cedidos.

Art.  3º – A UNIDADE ESTRATÉGICA deverá elaborar e atualizar as regras de segurança patrimonial do Poder e regras para o atendimento excepcional de segurança pessoal de seus Órgãos, bem como, organizar banco de dados de informações.

Art. 4º – A UNIDADE OPERACIONAL será organizada em três serviços, o Serviço de Atendimento de Emergência para Magistrados sob Ameaça, e outras situações análogas; o Serviço de Investigação Preliminar e de Acompanhamento e Reavaliação da Segurança Externa; e o Serviço de Controle da Implementação das Regras e Procedimentos de Segurança Patrimonial. 

Art. 5º – O NÚCLEO manterá PLANTÃO PERMANENTE DE ATENDIMENTO AOS MAGISTRADOS DE TODO O ESTADO.

Art. 6º – As regras de funcionamento interno e as de segurança estratégica patrimonial e pessoal, assim como toda e qualquer atividade do Núcleo, deverão ser aprovadas pela Presidência do Tribunal de Justiça e poderão ter caráter sigiloso, sendo que as de interesse dos magistrados lhes serão comunicadas por ofícios reservados.

Art. 7º – Este Ato entra em vigor na data de sua publicação.

PUBLIQUE-SE. CUMPRA-SE.

Porto Alegre, 16 de abril de 2003.

Des. JOSÉ EUGÊNIO TEDESCO,

                  Presidente.

COJE

Art. 32 - Ao Presidente do Tribunal de Justiça, além da atribuição maior de representar o Poder Judiciário, de exercer a suprema inspeção da atividade de seus pares, de supervisionar todos os serviços de 2° grau, compete-lhe exercer outras atribuições que lhe sejam conferidas em lei e no Regimento Interno (redação dada pela Lei n° 9.159/90). 

Regimento Interno do Tribunal de Justiça:

Art. 42. Ao Presidente do Tribunal de Justiça, além da atribuição de representar o Poder Judiciário, de exercer a suprema inspeção da atividade de seus pares, de supervisionar todos os serviços do segundo grau, de desempenhar outras atribuições que lhes sejam conferidas em lei e neste Regimento, compete:

XXII - propor ao Tribunal Pleno:

c) a criação e extinção de órgãos de assessoramento da presidência.

..................................................

      

Alguém por acaso leu nos dispositivos acima que é atribuição do Presidente criar departamentos e núcleos? Eu não li...

         

            Portanto, observa-se que a criação de um novo núcleo ou departamento dentro do Tribunal deveria vir através de Lei, e não de ato administrativo. O Des. Tedesco, portanto, extrapolou a sua competência. Aí está, senhores, a prova de que o Núcleo de Inteligência é clandestino!!! Temos ali gente estranha ao Tribunal, cuja função é bisbilhotar tal qual o atrapalhado detetive Mário Fofoca, personagem do Luiz Gustavo, lembram dele?

images

         

           Nós, do Movimento Indignação, sempre lutaremos pela valorização do servidor concursado dentro do Poder Judiciário. Assim como os juízes gostam de apregoar que sua independência é garantia para a sociedade, também nós, servidores, reivindicamos nossa constitucional liberdade dizendo:

NÃO À MORDAÇA NO SERVIDOR PÚBLICO !

Patriotismo_Fundo_1024x768

Posté par Simone Nejar à 10:01:00 - - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , ,

12-11-2008

João Velhaco

Não tenho a menor idéia do porquê, mas o fato é que, desde os tempos de guria da minha avó, rezava a tradição popular que "quarta-feira é dia de namorar". Aliás, remonta já aos tempos da vovozinha a existência, considerável estatisticamente, de um personagem, hoje, cada vez mais raro e menos valorizado (em tempos de "foda" livre e nenhuma liberdade de expressão): a solteirona.

E é para que alguma eventual representante desta espécie, tomada de tédio infinito, possa se divertir um pouco ao terminar esta tarde - quando seus instintos gritam furibundos por vingança contra todos os enamorados que possuem uma felicidade mágica a ela negada - que eu, que há pouco me escapei de permanecer um solteirão, resolvi publicar algo menos árido e agressivo do que as discussões que passam costumeiramente por este "obsceno" blog.

Resolvi, portanto, postar um poema. Mas não um reles poema açucarado, lírico e choroso. Algo que entretenha sim, mas que seja também instrutivo e edificante. E, como eu e a Simone estivemos, ontem, em visita à Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa gaúcha, me lembrei de um velho personagem em cuja homenagem eu e o companheiro Valdir Bergmann escrevemos um poema a "quatro patas", que já publiquei, há alguns meses, no "imoral e injurioso" blog Bira e as Safadezas... Aí vai, portanto, o produto burlesco da nossa imaginação... e da pobre realidade política e sindical do nosso Estado. Antes que alguém se sinta injuriado, e queira vestir a carapuça do seu protagonista, vou avisando: no caso do pelego do poema, qualquer semelhança é mera coincidência.

João Velhaco

Dizem uns, foi em Pelotas,
Outros em Arroio Grande -
Lá pelas bandas do sul,
Nasceu há uns bons trint'anos
O bebezinho João!

Joãozinho, lindo moço,
Tão simpático e envolvente,
Rechonchudinha criança
Desde cedo revelou-se
Um primor de rebeldia!

 

 

Na festa de formatura,
Orador, do pré-primário,
Encantou toda assistência
Com um discurso veemente:
Cola tenaz (não havia
Ainda a super bonder)
Jogar aos cabelos da "tia"
Era um tremendo protesto
Contra os maus-tratos à infância!

Já jovenzinho, criado
Na escola forense da vida,
De pai Oficial de Justiça,
João, embora panfletário,
Da pompa dos gabinetes
Tanto viu-se fascinado
Que integrou-se ao Judiciário.

Mas ao pai que era o exemplo
Joãozinho não suplantou!
Fez-se apenas escrevente
E, rebelde novamente,
Resolveu ser o momento
De fazer algo medonho:
Tornou-se sindicalista
Pra balançar toda gente!

 

 

Greve, passeata, discursos -
Discursos e mais discursos -
João era um temporal!
E da sua boca saia
Não o inconformismo apenas!
Seu palavrório era belo,
Tão lógico, tão perfeito!
João, bonachão gordinho,
Homenzinho sem defeito,
Era a estrela do dia!

Mas, como isso não rendia
Nem um tostão, nem trazia
Fama maior, iracundo,
"Don Juan", gay enrustido,
Na comarca, furibundo,
Frustrou-se e se foi ao mundo.

 

 

Como quando piá havia
Na primeira vez levado
Um tarugo na sua bunda,
Nosso caro Don Juanzito,
"Trespassado" de entusiasmo,
Finalmente descobrira
Como ser "alguém",
Sem ser profundo!

Tornou-se mais contudente,
Relinchou, deu coice, fez-se
Tão intenso e Presidente
Já era do sindicato!
No cargo, traiu, roubou,
Praticou todos conchavos
Que a arte da vigarice
Supõe e, sempre irado,
Aos traídos encantou.
Enrustiu, como enrustido,
Veado ele sempre fora!

 

porcos

 

Até que, em recompensa,
De um bode velho e safado,
Demagogo deputado,
Nos braços foi elevado
Ao gabinete. Assessor,
Hoje a João todos conhecem
E proclamam, com estrondo,
"Um roliço burguês redondo!"

Entre Vila Palmeira e Santa Rosa, 18/19 de setembro de 2004

Ubirajara Passos & Valdir Bergmann

 

*************************************************************

 

 

Nossas reverências ao poeta e político Ramiro Barcelos, cujo poema Antônio Chimango transmitiu o seu espírito, inconscientemente, ao nosso João Velhaco, na época em que o escrevemos.


movimento INDIGNAÇÃO

Posté par Ubirajara Passos à 19:00:00 - - Commentaires [1] - Permalien [#]
Tags : , , ,

Manhã transfigurada

                 Bom dia!

                 Hoje é dia de Santa Inquisição novamente! Chegou a vez de ouvir aqueles que vão testemunhar contra mim, aqueles que leram este blog e, exercendo um direito de representação personalíssimo, resolveram representar em nome do presidente do Tribunal, como se fossem mandatários daquele. Aliás, não foi nem em nome do presidente, foi em nome do Tribunal, mesmo. Preparem-se, juristas do mundo inteiro, para a criação de um novo instituto jurídico: o crime contra a honra de um prédio. Sim, o prédio da Borges e /ou o prédio da Praça da Matriz sentiram-se ofendidos com as nossas denúncias aqui no blog! Inacreditável, não é mesmo? E pensar que dizem que objetos inanimados não têm alma!!! Ah, se aquelas paredes falassem!

BXK9360_boca_da_verdade_roma_por_eliomar_ribeiro800

               

                        Gostaria de lembrar aos queridos leitores que enquanto eu estou suspensa, os parentes continuam lá; não se teve ainda notícia da saída da querida Neka, Maria Teresa Nedel Duarte, secretária CC; também não li ainda no Diário a saída da Mileskinha, do Gervásio, da Mônica, da Ana Lia Vinhas Hervé e seu filhote Rodrigo, muito menos do filho do conselheiro João Osório, o nepote Marcelo Albarello Martins. Pô, Des. Voltaire, quer dizer que o senhor não sabia de toda essa gente?

mardelama

                Quer dizer que eventualmente algum nepote pode ter sido contratado? Ai, que falta de ar self me dá tanta inverdade! E, para completar, fui chamada de incompetente pela Dra. Scalzilli aqui no próprio blog. Quem não lê os comentários às nossas crônicas está perdendo o melhor da festa. Leiam os comentários, gente! Tem um ali, fresquinho, em que a Dra. Scalzilli me chama de incompetente. É risível... porque, ao que parece, competente deve ser a irmãzinha dela, que é secretária CC, uma aberração jurídica!

              Não preciso provar a minha competência para ninguém. Até porque, reconheço - sou uma péssima empacotadora de teclados lá na Informática. Reconheço. Se entrei pela porta da frente e mesmo assim sou incompetente, então alguma coisa está errada com o concurso do Tribunal. Foi isso o que a senhora quis dizer, Desembargadora? Por favor, esclareça; o espaço é todo seu. Esclareça, também, como anda o recurso de sua irmã no STF, cuja informação trago a seguir. O populacho quer saber por que a Súmula 13 do STF não se aplica ao Egrégio Tribunal de Justiça Gaúcho.

nedelnostf

               Este blog é democrático: aqui não temos conchavos maçônicos, publicamos tudo o que mandam, não censuramos nada nem ninguém, e ainda damos direito de resposta. Aguardamos sua nova manifestação, desembargadora.

              E por falar em nepotismo, vou deixar uma belíssima poesia do meu tio. Aliás, para quem não sabe, ele é Procurador de Justiça concursado, óbvio, e aposentado, hoje Imortal da Academia Brasileira de Letras (o primeiro gaúcho que entrou). Usufruam da "mediocridade literária" da família Nejar, que não precisa de favores. "Somos todos concursados" é o nosso lema:

Giordano Bruno fala aos seu julgadores

Carlos Nejar

 
Não é a mim
que condenais.

Nada podeis
roubar-me.
A verdade sofreu
e eu sofri
no grão dos ossos.

A vida não me veio
para mim.
E servirei de vau
a seu moinho.

Não cedo
o que aprendi
com os elementos.

Prefiro o fogo,
à vossa complacência.
E o fogo não remói
o que está vendo.
Abre flancos
no avental
das cinzas esbraseadas.

O fogo
de flamejante língua
e sem coleira:
morde.
E  testemunha
sem favor dos anjos.

Não é a mim
que condenais.

A  Inquisição
vos fragmentou
e ao vosso juízo.

A ciência toda
é aparência de outra
que nada em nós
como se fora água
do coração.

Eu me fiei
ao universo
e sou janela
de  harmonia
indelével.

Não vos julgo.

O que se move
é a história
no caule da fogueira.

Sou de uma raça
que procede do fogo.

Não podereis calar-me.

             Tenham todos um bom dia!   

Posté par Simone Nejar à 08:57:00 - - Commentaires [1] - Permalien [#]
Tags : , , ,

Denúncia das perseguições à Anistia Internacional e aos Repórteres sem Fronteira

O Movimento Indignação, cada vez mais indignado e descrente nos órgãos do oficialismo estatal brasileiro, após contatar a Conlutas e a OIT, prosseguiu, na madrugada deste dia, denunciando, às entidades internacionais de defesa da liberdade e dos direitos humanos, a sanha raivosa e fascista do patrão, empenhada em calar a boca e manietar os braços e as mentes dos trabalhadores da justiça gaúcha, pelo exemplo da decaptação política e do banimento sócio-econômico dos companheiros Bira e Simone.

Apesar dos motivos alegados pela administração do TJ e pela corregedoria, todos sabemos que não é a simples defesa da hipocrisia moralista e "educada" a causa principal da perseguição contra as duas principais figuras públicas do Indignação, mas sim a necessidade de dar o recado intimidatório a todo servidor que ainda preze sua dignidade e a capacidade de pensar e possa se revoltar, exercendo legitimamente a reivindicação e a contestação, com as condições inumanas de trabalho e salário que padece há décadas (e que só recrudescem cada vez mais): "Olhem bem o que fazemos com os revoltados! Não ousem pensar, e, se ousarem, nem pensem em falar, nem reclamar publicamente, porque gente mal-educada como estes ativistas sindicais pra nós só tem um destino: nós os demitimos e banimos do sacrossanto judiciário para que cessem de macular a pureza do poder com seus protestos!".

Pois é para que este tipo de intimidação autoritária e descabelada não fique circunscrita às fronteiras do galinheiro do Luís Inácio, que acabamos de postar denúncia semelhante às demais enviadas ontem perante a Anistia Internacional e a organização "Repórteres sem Fronteira".

Posté par Ubirajara Passos à 08:00:00 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , , , , ,

11-11-2008

Movimento Indignação denuncia perseguição do Tribunal à OIT e Conlutas

O Movimento Indignação acaba de levar ao conhecimento da Organização Internacional do Trabalho (OIT) - órgão da ONU encarregado das questões referentes às relações  entre patrões e peonada, a retaliação brutal que os companheiros Bira e Simone estão sofrendo por defenderem a decência, a liberdade de imprensa e o fim dos privilégios. Foi encaminhada, igualmente, denúncia à Conlutas. Segue abaixo o texto enviado à OIT, que só diverge do destinado à central combativa e classista na introdução formal:

O Movimento Indignação, fração de oposição do Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado do Rio Grande do Sul – Sindjus-RS, vem perante a Organização Internacional do Trabalho requerer providências por violação da liberdade sindical e do direito de organização praticada pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, República Federativa do Brasil, consubstanciado na intimidação, mediante processos disciplinar ilegal e ilegítimo dos sindicalistas do setor público, abaixo nominados, em razão do exercício de suas atividades sindicais, que fere as convenções 87, 98 e 151 (especialmente), conforme narrado a seguir.

Os sindicalistas Ubirajara Passos e Simone Janson Nejar, servidores concursados e representantes de local de trabalho, respectivamente, do Departamento de Informática do Tribunal de Justiça e da Contadoria da Comarca de Gravataí, setores do Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul, República Federativa do Brasil, estão sendo retaliados, e ameaçados de demissão de seus cargos públicos, em razão de terem denunciado, através do blog do Movimento Indignação (corrente de oposição interna do Sindjus-RS - Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, de que são militantes), cujo endereço é grupo30.canalblog.com, e do blog pessoal de Ubirajara Passos, upassos.wordpress.com, a prática ilegal de nepotismo no Tribunal de Justiça, bem como por se manifestarem contra o arrocho salarial e a falta de condições de trabalho sofridos pela categoria (em cujos quadros há mais de 1.800 cargos vagos não providos há anos).

A sindicalista Simone denunciou, não somente no referido blog (que é o site oficial do movimento Indignação, nele publicando artigos os sindicalistas Ubirajara Passos, Simone Janson Nejar e Valdir Antônio Bergmann), mas através de ação popular impetrada no Supremo Tribunal Federal, a lista de ocupantes de cargos em comissão parentes de juízes e desembargadores, cuja presença neles constitui infração à Súmula 13 da suprema corte brasileira, assunto este que vem sendo coberto pela imprensa local e nacional.

Como resultado, e a pretexto de utilizarem nos artigos por eles assinados, expressões injuriosas, caluniosas e difamatórias às autoridades públicas e ao Poder Judiciário, a administração do referido tribunal, através da 2.ª vic-presidência, e da Corregedoria-Geral de Justiça, abriu processos administrativos contra Simone e Ubirajara, suspendendo-os de seus cargos, "preventivamente", e enquadrando-os no dispositivo da Lei Estadual 5256/1966, promulgada durante a ditadura militar, que permite a demissão de trabalhadores públicos em razão de "referência injuriosa, caluniosa ou difamatória à Justiça, autoridades públicas, ás partes e a seus advogados" (art. 757, VI, d) - artigo este eivado de completa inconstitucionalidade frente ao art. 5º da Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada por ocasião da restauração democrática em 5/10/1988, que garante a liberdade de expressão.

Apesar do pretexto legalista e autoritário do "crime de opinião", que é mero expediente para demitir os sindicalistas, os processos objetivam realmente é intimidar e calar as vozes críticas dos membros do movimento sindical referido e dos militantes sindicais do poder judiciário do Rio Grande do Sul. Não por acaso foram iniciados logo após a denúncia, no blog do movimento, de contratação irregular de empresa de manutenção de ar condicionado em que consta como sócio o irmão do Presidente do Tribunal de Justiça, pelo Poder Judiciário. As manifestações "injuriosas" são expressões e frases de efeito dos artigos publicados pelos sindicalistas nas denúncias referidas.

No caso do sindicalista Ubirajara Passos, a sanha persecutória chega às raias da insanidade, da malícia e do pior preconceito sócio-cultural. Militante do Sindjus-RS há mais de 17 anos (desde 1991), Ubirajara Passos ocupou neste período os mais diversos cargos de dirigente sindical, como representante de local de trabalho, 3º e 4º Vice-Presidente do Sindjus-RS, membro do Conselho Deliberativo, do Conselho Geral e Coordenador do Núcleo Regional da Grande Porto Alegre, na referida entidade, possuindo  grande liderança e popularidade entre os servidores do judiciário, de há muito, tendo sempre se manifestado e atuado com a maior combatividade e radicalismo pelos direitos trabalhistas da categoria, sem quaisquer hipocrisias e de forma contundente.

Para disfarçar a perseguição política escancarada, entretanto, o Tribunal de Justiça embasou o processo administrativo a pretexto da publicação, no blog pessoal do sindicalista, de uma crônica satírica que expõe o ridículo de norma que determina à segurança do palácio-sede do poder a coibição de "encontros excessivos de namorados" (de suposta natureza sexual), se utilizando de palavras "chulas" (termos sexuais na linguagem popular). O referido blog, em que Ubirajara publica desde comentários políticos a poemas de sua autoria e ensaios antropológicos e políticos, possui em seu conteúdo toda a sua obra literária, na maior parte impublicada, mas a portaria que instaurou o processo visando sua demissão, classifica seu conteúdo de "obsceno", em clara imputação preconceituosa e moralista, de cunho patriarcal e conservador, e em evidente tentativa de desqualificação da liderança e do discurso político e sindical de seu autor.

Anexamos manifesto lançado pela corrente sindical referida, em apoio aos trabalhadores perseguidos e moção de repúdio do Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado do Rio de Janeiro sobre o caso.

Porto Alegre, 28 de outubro de 2008

Valdir Antônio Bergmann

Mílton Antunes Dornelles

Ubirajara Passos

Simone Janson Nejar, pelo

Movimento Indignação (organização de oposição do Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado do Rio Grande do Sul/Sindjus-RS)

Posté par Ubirajara Passos à 14:54:00 - Commentaires [3] - Permalien [#]
Tags : , , , , , ,

10-11-2008

Estamos no You Tube!!!

http://www.youtube.com/watch?v=aNDmAtOxHpg

Vai lá, dá uma conferida e espalha por aí, colega!

Posté par Simone Nejar à 20:49:11 - - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , ,