14-05-2010

Justiça do Trabalho intervém nas eleições do Sindjus-RS

Por determinação da Juíza Federal do Trabalho Dra. Luciana Kruse, as cinco urnas  eletrônicas utilizadas pelo SINDJUS-RS, no processo eleitoral em andamento, foram interditadas, mediante ordens expressas ao  Presidente do TRE-RS para que sejam mantidas intactas até segunda ordem. O decreto judicial foi cumprido nesta manhã.

O pedido de intervenção foi  ajuizado pela chapa 2 - Movimento Indignação(independentes), através de sua Advogada, Simone Nejar, diante dos fortes indícios  de fraude eletrônica.

A suspeita inicial se deu no momento em  que foi  informado do resultado apurado pela Comissão Eleitoral –toda constituída por simpatizantes da Chapa 1 – Pra Seguir(CUT-PT).  Justamente no local em que havia unanimidade de ampla vitória da chapa oposicionista(palácio e tribunal), as duas urnas ali instaladas deram nossa chapa como derrotada.

Após o estado de perplexidade dos candidatos, e a revolta de vários eleitores presentes, foi iniciado processo  acurado de análise do estranho fenômeno, que durou 24 horas. Com a colaboração de vários analistas de sistemas, chegou-se à conclusão unânime de que, se não houve fraude, ao menos havia a possibilidade técnica para tanto. Vários dados apontaram nessa direção, como a duplicação da lista de eleitores e a instalação de duas urnas, lado a lado, tanto no prédio do TJ como no Foro Central, coisa desnecessária e nunca adotada antes.

O processo de escrutínio iniciou-se às 11h de hoje, com a entrega de 140 urnas de lona pelo correio, sendo que ainda restam aproximadamente 40 urnas que estão chegando do interior do Estado.

Apesar da apuração de apenas cinco urnas de um total de 190, o presidente da Comissão Eleitoral, Valdir Boeira, de forma totalmente irresponsável e antiética, anunciou a vitória da Chapa 1  (CUT – PT) à imprensa,  o que rapidamente foi publicado pelo Correio do Povo – edição de ontem, que sequer se deu ao trabalho de entrevistar integrantes da Chapa 2, reproduzindo, na íntegra, a manifestação tendenciosa de Boeira.

Apesar disso, o Movimento Indignação, através de sua Advogada, contatou a jornalista Jurema, responsável pela redação do Correio do Povo, solicitando fosse publicado um  esclarecimento, nos seguintes termos:

“NOTA DE ESCLARECIMENTO

O MOVIMENTO INDIGNAÇÃO, Chapa 2, através de sua Advogada, Simone Janson Nejar, OABRS 77.033, tendo em vista a matéria publicada na data de 13 de maio neste Jornal, vem esclarecer o que segue:

1 - A Chapa 1, Pra Seguir, pretensamente vitoriosa na Capital, fez 72,42% de apenas 357 votos válidos apurados ontem. O total de eleitores aptos a votar nestas urnas era de 1.127. Houve uma grande abstenção, portanto, de 770 eleitores (68%), que é muito superior à votação das duas chapas concorrentes.

2 - Se, eventualmente, a apuração parcial das urnas de Porto Alegre fosse parâmetro para o total do Estado, o resultado final seria a nulidade absoluta da eleição, por falta de quorum, já que a grande vitoriosa, até o momento, foi a abstenção.

3 - Ressalte-se que ainda restam 113 votos a serem apurados  em Porto Alegre, além de todos os do interior do Estado, em que se espera não haja abstenção majoritária.

4 - Segundo pesquisas do Movimento Indignação, a tendência majoritária de votos é para a Chapa 2, devido ao descrédito generalizado com a fraca ou nula atuação da Chapa1

5 - Os 357 votos válidos apurados representam somente 12% do total, pois no interior do Estado há 3.093 eleitores, e espera-se que pelo menos 70% destes tenham comparecido.

Solicito, portanto, uma nova matéria com estes dados.

Atenciosamente,

Simone Janson Nejar

    Advogada

OAB/RS 77.033”

A resposta, no entanto, foi um solene silêncio na edição de hoje do citado jornal. Lamentamos a postura do Correio do Povo, a qual não condiz com as origens populares e democráticas do mais antigo jornal em circulação nos pampas.

Deploramos que fatos como os acima expostos aconteçam dentro de sindicato integrado por servidores da Justiça.  Mas estamos atentos, e dentro de nossas possibilidades, sempre faremos tudo para que os votos das Companheiras e Companheiros sejam tratados com a reverência que merecem, e, movidos por inspirações democráticas e  republicanas, reafirmamos nossa crença na JUSTIÇA.

Movimento Indignação

Envie convite a seu(s) amigo(s) para visitar este blog

13-05-2010

Chapa 1 perde eleição para as abstenções, nas urnas eletrônicas de Porto Alegre

Ao contrário do publicado hoje no Correio do Povo, a grande vencedora das urnas eletrônicas de Porto Alegre, apuradas ontem, foi a ABSTENÇÃO. 

Dos 1.127 eleitores aptos as votar nelas, 68%, ou seja, 770 eleitores não compareceram às urnas para votar, contra os parcos 359 que exerceram seu direito de voto. 

Comissão parcial:

Apesar disto, a Comissão Eleitoral, em entrevista ao jornal referido, assumiu uma postura absurdamente parcial e comemorou o resultado. Os 260 votos (72,42% dos ínfimos 359)obtidos pela chapa oficial foram mencionados como tendência definitiva para o resultado final. E o título da matéria não deixa dúvidas quanto à óbvia tentativa de manipulação dos dados divulgados a favor da chapa que representa a traição dos interesses da categoria: "Chapa 1 vence as eleições no Sindjus".

Nosso representante solicitou, na reunião da Comissão Eleitoral, hoje à tarde a retificação dos dados publicados, com a divulgação da fantástica abstenção, no site do sindicato. A proposta foi acatada. Entretanto, a nova matéria divulgada não cumpre o combinado, reafirmando o já publicado no jornal, e mnencionando apenas a totalização dos votos válidos.

Ainda faltam 113 votos a serem apurados na capital, entre foros regionais, Tribunal Militar e Gráfica, onde, pelo que sabemos de nossa pesquisa de boca de urna, a chapa 2 deve ganhar a votação por ampla vantagem.

Manipulação explícita:

Mesmo assim, na matéria do Correio do Povo, consta que a chapa oficial teria feito 72% de todos os votos de Porto Alegre, desconhecendo as urnas ainda não apuradas e vasta abstenção verificada.

De todo este cenário se depreende o descontentamento massivo da categoria com a atual direção sindical e a tentativa, com a colaboração da própria comissão eleitoral, de manter o Sindjus, na marra, nas mãos da corrente petista e cutista, contra a vontade dos seus filiados.

Seria trágico se não fosse cômico! Afinal apresentar o resultado pra lá de parcial de apenas 5 urnas, das 174 existentes no Estado, como definitivo é, no mínimo, desonestidade intelectual! As urnas do interior inteiro ainda restam ser apuradas e, com certeza, nelas as abstenções serão ínfimas, bem como o descontentamento dos servidores com a atual situação foi manifestado com o voto concreto na Chapa 2 - Movimento Indignação.

Fiquem tranqüilos nossos apoiadores e eleitores no Estado afora, portanto,porque tudo não passa de manipulação torpe e a vitória ainda está no horizonte!

Posté par movim INDIGNACAO à 18:39:00 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , , ,

11-05-2010

Eleitor do Sindjus-RS: em 12 de maio faça algo de útil com seu voto: VOTE CHAPA 2!

O SINDJUS-RS foi fundado há vinte anos! Um estrondoso baile, de dar inveja aos refinados clubes sociais, foi realizado pela atual gestão em comemoração no final do ano passado.

Nós, simples trabalhadores do Judiciário, entretanto, não temos nada a comemorar!

Triste realidade:

Nestes vinte anos pouquíssimas reivindicações da categoria foram concedidas e em geral de forma insatisfatória, como o reconhecimento da diferença da URV, cujo pagamento dos atrasados se arrasta há seis anos. Ou o auxílio-refeição, cujo próprio valor fixado em lei em 1997 se encontra desatualizado, além de não beneficiar boa parte da categoria, devido ao baixo limite de isenção do estorno.

Direitos consagrados para todos os trabalhadores, inclusive os do serviço público, como insalubridade, periculosidade e auxílio-transporte (que atinge somente os servidores celetistas), plano de carreira (para a justiça de 1º grau)  nunca foram concedidos pelo Tribunal.

Os salários, desvalorizados , não são atualizados de modo a recuperar o simples aumento dos preços, desde 1990. O quadro de servidores previsto em lei com mais de 20 vinte anos de vigência nunca foi plenamente provido. Há mais de 1.800 vagas e muitas outras seriam necessárias serem criadas e preenchidas para dar conta do aumento dos processos (mais de 300% nos últimos dez anos).

E o Tribunal administra seus "recursos humanos", na maioria dos casos, na base da gestão pelo grito, se utilizando da imposição e do assédio moral.

O resultado de tudo isto é uma massa de trabalhadores assoberbados de trabalho, doentes, cabisbaixos e humilhados, com as contas estourando e a carteira vazia. A dedicação absoluta e a qualidade do trabalho desenvolvida pela maioria, apesar das mazelas que vive, simplesmente não é reconhecida pelo Tribunal.

Quem são os culpados?

O nosso patrão judiciário, entretanto, não é o único responsável por tudo isto. Se vivemos este triste quotidiano é porque o único meio legítimo e eficaz de reação e luta, o sindicato, se encontra comprometido.

Na última gestão do Sindjus-RS, a que se encerrerá dentro de um mês, tudo o que vimos, além de campanhas de mídia caras e inócuas, o tempo todo, foi uma deplorável postura de subserviência e colaboração com o Tribunal e os privilégios da magistratura (que obteve aumentos reais de mais 70% com os subsídios e atrasados de auxílio-moradia de mais R$ 200 mil para cada membro, recentemente).

Sob o pretexto da boa educação e do diálogo, nossos cordados líderes sindicais abandonaram o compromisso de defender os direitos da categoria, de lutar para que ela tenha uma vida digna, chegando ao absurdo de forçar a aceitação de um reajuste de apenas 4,76%, contra 8,88% concedido aos magistrados, no último mês.

Faça valer o seu voto e retome o sindicato para os servidores:

Diante da tragicômica situação em que se encontra nossa entidade sindical, só nos resta eleger uma diretoria realmente comprometida com a categoria, acima de qualquer partido ou corrente. Disposta a liderá-la de forma firme e honesta, procurando dialogar com o Tribunal, sim, mas jamais abrindo mão dos nossos mais caros interesses.

Por isto, eleitor, amanhã, dia 12 de maio, pense bem antes de escolher entre as duas chapas que concorrem à direção do Sindjus.

NÃO DESPERDICE SEU VOTO COMO A SUA VIDA TEM SIDO DISPERDIÇADA NO TRABALHO INUMANO PARA UM PODER JUDICIÁRIO QUE NÃO RECONHECE A TUA DEDICAÇÃO.

PARA MUDAR TUDO ISTO, E PARA QUE POSSAMOS, TODOS JUNTOS, DIREÇÃO DO SINDJUS E SERVIDORES, MARCHAR DE FORMA FORTE NA EXIGÊNCIA DO QUE É NOSSO POR JUSTIÇA E NECESSIDADE DE DIGNIDADE,

VOTE CHAPA 2 - MOVIMENTO INDIGNAÇÃO - por um Sindjus Democrático, Independente e Combativo!

Posté par movim INDIGNACAO à 16:17:39 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , , , , , , ,

10-05-2010

Justiça para os trabalhadores da justiça: Isonomia entre as entrâncias já!


A Constituição Federal garante a isonomia dos salários entre os servidores das diferentes entrâncias, consagrando em seu texto o princípio de que deverão ser pagos salários iguais para iguais funções.

O Tribunal de Justiça, entretanto, descumpre, sem a menor vergonha, este princípio, mantendo, até hoje (22 anos depois de promulgada a "Constituição Cidadã") a diferenciação de salários nos mesmos cargos, dependendo da entrância da comarca em que trabalham. Pouco importa se um Oficial Escrevente ou Serviçal celetista de Giruá faz o mesmo serviço que o de um de Gravataí ou Porto Alegre, porque a injustiça salarial faz com que os do interior recebam até 23% menos do que na capital, conforme a última lei que definiu a escala de salários, que data de setembro de 1989.

Ir além das ações judiciais: 

Nestes anos todos, a única vez que o Sindjus foi além das simples ações judiciais a respeito da matéria (julgadas improcedentes, de forma absurda, pelo próprio patrão), foi por ocasião da elaboração do ante-projeto de lei de plano de carreira, engavetado, em 1994, quando nosso candidato a coordenador-geral era o representante,eleito em Assembléia Geral,  do sindicato na comissão que o elaborou. E, graças à sua atuação, foi possível colocar a isonomia naquela ante-projeto, garantido como básico de cada cargo, antes de iniciar a carreira, o salário de PortoAlegre. Infelizmente, devido à má vontade, do Tribunal, o ante-projeto foi engavetado.

Hoje que o Sindjus é chamado, mais uma vez, para compor comissão que elaborará o Plano de Carreira tão esperado e nunca implantado, é preciso que garantamos a isonomia no texto da futura lei.

O Tamanho do rombo: 

Afinal, além das perdas salariais comuns a todos os servidores, os trabalhadores da Justiça de 1.º grau ainda padecem desta discriminação, cujos números são estarrecedores. Confira abaixo o que cada padrão de vencimentos perdeu, levando em conta o salário básico atual, sem juros nem correção, nem as vantagens temporais de cada um (triênios e adicionais) nos últimos 21 anos pelo não cumprimento da Constituição:

PADRÃO

CARGO (exemplificativo)

ENTRÂNCIAS

PERDA MENSAL

(salário atual)

PERDA TOTAL DESDE 1989

(289 parcelas mensais)

PJ-B

AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS

INICIAL

185,28

53.517,02

INTERMEDIÁRIA

94,68

27.362,52

PJ-G-I

OFICIAL ESCREVENTE

INICIAL

563,96

162.984,44

INTERMEDIÁRIA

296,39

85.656,71

PJ-H

OFICIAL DE JUSTIÇA DA INFÃNCIA E JUV.

INICIAL

1.074,40

310.501,60

INTERMEDIÁRIA

563,28

162.787,92

PJ-I

OFICIAL AJUDANTE

INICIAL

632,17

182.697,13

INTERMEDIÁRIA

325,94

94.196,66

PJ-J

ESCRIVÃO

INICIAL

899,07

259.831,23

INTERMEDIÁRIA

461,12

133.263,68

Se considerarmos o salário necessário à recuperação integral das perdas, o cenário se mostra mais desastroso ainda:

PADRÃO

CARGO (exemplificativo)

ENTRÂNCIAS

PERDA MENSAL

(salário atual)

PERDA TOTAL DESDE 1989

(289 parcelas mensais)

PJ-B

AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS

INICIAL

272,36

78.670,02

INTERMEDIÁRIA

139,18

40.222,90

PJ-G-I

OFICIAL ESCREVENTE

INICIAL

829,02

239.587,13

INTERMEDIÁRIA

435,69

125.915,36

PJ-H

OFICIAL DE JUSTIÇA DA INFÃNCIA E JUV.

INICIAL

1.579,37

456.437,35

INTERMEDIÁRIA

828,02

239.298,24

PJ-I

OFICIAL AJUDANTE

INICIAL

929,29

268.564,78

INTERMEDIÁRIA

479,13

138.469,09

PJ-J

ESCRIVÃO

INICIAL

1.321,63

381.951,91

INTERMEDIÁRIA

677,85

195.897,61

O que foi perdido, nunca mais volta: 

Para se entender melhor o significado destas cifras, imagine o leitor, que é um oficial escrevente de entrância inicial, por exemplo, que, se ao invés de ter deixado de receber, desde setembro de 1989, o valor de R$ 240 mil, em razão do descumprimento da isonomia salarial com a capital e da perda inflacionária não recuperada, estes valores lhe tivessem sido religiosamente pagos e ele, voluntariamente, os tivesse colocado em alguma aplicação que rendesse o suficiente para repor a inflação do período. Com esta bagatela poderia, hoje comprar 10 carros Ford Ka 2010/2011, ou duas casas de boa qualidade no interior do Estado. Entretanto, este pequeno prêmio de loteria foi simplesmente sonegado pelo Tribunal e representou, isto sim, comida não posta na mesa, educação de qualidade que não pudemos dar a nossos filhos, condições de vida dignas e decentes, condizentes com o sacrifício diário a que nos dedicamos em um trabalho com falta de servidores e, mesmo assim, de alta qualidade, que não nos foram dadas.

Só a luta pode fazer com que a justiça nos faça justiça: 

Mas, para garantir, que a isonomia salarial entre entrâncias venha a ser reconhecida pelo patrão, nos dando o que é tão somente justo e garantido em lei, é necessário que o Sindjus seja liderado por uma direção disposta a exigi-lo e com capacidade e credibilidade para mobilizar os servidores nesta luta.

Não sabemos, por exemplo, nem quem é o representante do Sindjus na comissão que está elaborando o novo plano de carreira, e a atual direção sequer afirma abertamente a necessidade absoluta de que ele contemple isonomia, e não venha com armadilhas como avaliação do desempenho para demitir e extinção de cargos de chefia e sub-chefia.

                                         Por isto, em 12 de maio

 

                                         movimentoind

   Assista nossa mensagem em vídeo, de sua casa:

Filme de 3min25seg http://www.youtube.com/watch?v=x1Ze-VeWDGM

Para assistir em casa!

Posté par movim INDIGNACAO à 17:37:00 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , , , , , ,

A chapa 2 fará o melhor por você!

Comunicação Ágil e Moderna

Não somos mais que nossos opositores. Certamente também não temos mais sabedoria. A diferença é que temos compromissos unicamente com a categoria, desatrelados de partidos políticos, movimentos outros e centrais sindicais. Por isso a categoria pode ter a certeza que nosso saber e espírito de lealdade estarão exclusivamente a serviço  dos interesses do servidor.

E o segredo para o sucesso do Sindjus-RS nos próximos três anos, é nos valermos da arma mais poderosa sobre a face da terra, desde os tempos da bíblia: a PALAVRA.

Nossos meios de comunicação serão potencializados ao máximo. Como exemplo,  citamos o web site, que hoje está numa situação deprimente. No Google Page Rank, o sítio tem nível dois, numa escala de um a dez. O mesmo nível do  modesto blog de nossa chapa. E isso que evoluiu bastante no último meio ano, pois era nível zero. O sítio do Cepers (o maior sindicato do Rio Grande do Sul), por exemplo, continua a merecer um rotundo zero do Google. Como pode essa gente do PT negligenciar tanto a comunicação dos trabalhadores, quando em tempos idos esbravejavam tanto contra a Rede Globo?  Certamente porque não querem que os trabalhadores tenham voz ativa na sociedade.

Iremos modernizar o site do Sindjus o quanto a tecnologia permitir. Todo o associado poderá se cadastrar, e com o nome de usuário e senha secreta à mão, poderá divulgar suas sugestões, críticas e opiniões no momento que bem entender, para serem lidas pelos internautas do mundo todo, sem interferência alguma de quem quer que seja.

Já nos primeiros dias, providenciaremos na instalação de uma rádio web no site, conforme já deliberado, por proposta do companheiro Valdir Bergmann, desde o II Conseju, pela plenário, e até hoje não cumprido pelo Sindjus.  Já sabemos que tal aquisição  não custa nenhuma babilônia. Rodaremos música ambiente de refinado gosto para ser ouvida nos cartórios, e, a qualquer momento, a notícia será transmitida instantaneamente na hora que estiver ocorrendo. Os colegas também serão convidados a participar da programação, seja com sugestões ou com intervenções, comparecendo ao estúdio ou por telefone. Estudaremos também a possibilidade de erguer uma ou algumas torres para retransmissão aberta, modalidade FM, já que o sindicato tem direito à rádio comunitária, como ONG que é.

Futuramente, na medida em que a tecnologia da web evoluir, nada impede de termos também uma TV on line.

Valer-se do poder do verbo, de uma comunicação efetiva e inteligente, será nossa principal arma. Isso não é segredo, mas os que não querem que o trabalhador -  aquele que produz toda riqueza da sociedade –  tenha voz ativa, tratam a comunicação como algo secundário.

Nós da Chapa 2, ao contrário, iremos fazer valer o que a ciência e a sabedoria produziram ao longo dos séculos e milênios, em defesa da dignidade dos servidores da Justiça gaúcha.

E, apenas para ilustrar, citamos as palavras do sábio evangelista João: “No princípio, havia apenas o verbo... ”E o verbo estava inclinado para Deus... ”E o verbo era Deus...”E o verbo se fez homem e habitou entre nós” 

Produzimos um pequeno filme especialmente para você, para que sirva como reflexão para melhor votar dia 12 de maio. Para não sobrecarregar o sistema Themis, sugerimos que você encaminhe este mail para sua caixa pessoal e assista o filme com sua família, clicando no link abaixo:

 

http://www.youtube.com/watch?v=x1Ze-VeWDGM


 

 

movimento INDIGNAÇÃO

Posté par movim INDIGNACAO à 13:59:00 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , ,

09-05-2010

Às mães de toda a condição, a nossa homenagem

O Movimento Indignação dá uma pausa na campanha eleitoral, neste domingo, para publicar um poema de saudade e carinho,composto por nosso candidato a coordenador-geral, como homenagem a todas as mães de qualquer condição, especialmente aquelas cujas dificuldades da vida diária, os poucos recursos materiais e as humilhações a que tem de se submeter a todo momento, ao invés de se constituir em motivo de desânimo,enobrecem o sofrimento porque passam para, em meio a tudo, criar seus filhos, com cuidado e terna dedicação. É para estas mães, cuja vida é um calvário criado pela falta de justiça dos que organizam a sociedade para o conforto e o prazer de uns poucos, que voltamos, sobretudo, os nossos olhos em cada uma de nossas atitudes como militantes sindicais. Segue o poema:

À minha mãe ida, mas sempre presente 


Já faz bastante tempo que partiste
Para a longínqua estância do eterno,
Deixando-me pra sempre desmamado. 


Quando tu fostes de volta ao pó da terra,
Mais do que alguém que carregou-me nove luas
No edênico berço do teu ventre,
Perdi uma amiga, uma das raras almas
Que compreendia-me profundo e desnudado
Dos atavios de adágios e discursos. 


Perdi uma parte irrecuperável de mim mesmo,
Mas conservei, pulsante e permanente,
Uma ternura por tudo é quanto frágil,
Um cuidado preocupado e extremoso
Com a vida nova que se agita entusiasmada
E inconsciente da perfídia deste nosso mundo. 


Eu que privava da tua intimidade,
Mas fui, contraditório, parco de palavras
Pra te dizer o quanto tu eras tudo,
Hoje compreendo, pai que sou de uma filhinha
O que inspirava as intromissões,
Que sufocavam meus ímpetos de potro,
Já bem crescido e senhor de si. 


 Hoje, conservo, em meio ao fogo da batalha
Pela transformação da sociedade
Em justa e solidária comunhão de peões,
Sempre uma ponta de intranquilidade,
Quando distante da minha menininha,


E, sempre que posso, jogo longe a armadura
E sento ao chão, criança revivida,
Para com ela ser bebê de novo,
Me arrebatar com o mais simples brinquedinho
Rindo à toa, com ela, o olhar cúmplice,


E lhe dar o que trago de mais caro,
Bem fundo, no mais íntimo de mim,
Que é o carinho que de ti restou-me,
Como relíquia sagrada e sem medida. 


Gravataí, 9 de maio de 2010. 


Ubirajara Passos

Posté par movim INDIGNACAO à 14:29:00 - - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , , ,

06-05-2010

Ex-Coordenadora-Geral do SINDJUS-RS recomenda voto na CHAPA 2

Carta de apoio que recebemos, na última terça-feira, da companheira Magali Bitencourt:


 

"Companheiros e companheiras:

 

 

 

Embora afastada da luta sindical, da política, da militância, do movimento em si, não há como fingir que nada acontece. Não é possível fechar os olhos e ficar estática, justamente no momento de maior relevância para a categoria, que é justamente quando acontece a escolha da nova direção que vai nortear todos os passos da administração do Tribunal e os requebros a que na maioria das vezes os trabalhadores precisam se submeter.

 

Mesmo sem a discussão do que acontece na vida política, porém com a vivência de quem sofre na pele a discriminação, a diferença de tratamento e o descaso com os trabalhadores, tenho claro que vivemos um momento especial e muitíssimo delicado, de eleições no país e no nosso sindicato.

 

Uma chapa (da situação), se candidata com a proposta de seguir o que nada fez em três anos, de seguir aceitando os mandos e desmandos do Governo, do Tribunal, do CNJ e de todos os que tem poder, de braços cruzados, sem nada fazer em favor da classe trabalhadora, dos servidores do judiciário, dos menos favorecidos, etc... Me parece, que esses caras, esqueceram ou nunca souberam o que é fazer sindicato, o que é defender direito, o que é buscar conquistas...

 

O que temos para decidir é a continuidade ou a esperança da mudança.

 

Por isso, indico o voto nos companheiros da chapa 02, que sempre estiveram à frente do Sindicato, lutando veemente pelos nossos direitos. Essa nominata é composta de gente combativa, batalhadora, desatrelada de partidos políticos, de bandeiras, de governos, de siglas.

 

A CHAPA 02 e o o nome já diz,  é formada por trabalhadores e trabalhadoras do Judiciário que tem o desejo de mudar porque não aguenta mais o tratamento diferenciado e indigno a que somos submetidos.

 

Eu acredito nesses companheiros, deposito o meu voto, a minha confiança e esperança de mudança, de dias melhores, mais justos, mais dignos, mais felizes.

 

Dia 12, por um Sindicato Combativo e Independente, vote CHAPA 02, PARA MUDAR!!!

 

 

 

Saudações Sindicais,

 

 

 

Magali Bittencourt, Of. Escrevente

 

Ex-Coordenadora-Geral do Sindjus"

 

Envie convite a seu(s) amigo(s) para acessar este blog


 

Posté par movim INDIGNACAO à 12:30:00 - - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , , ,

05-05-2010

Nem seguir, nem voltar ao passado. Simplesmente MUDAR!

Os candidatos da chapa 1(a Praseguir) parece que foram tomados pelo desespero nesta eleição. Outra não pode ser a justificativa para que uma chapa de situação (que contaria, em tese, com a vantagem de apresentar seus feitos concretos em favor da categoria) concentre toda intensidade em criticar e tentar denegrir uma chapa de oposição que não possui sequer recursos financeiros para realizar roteiros pelo interior do Estado.

Mas, estranhamente, o seu foco preferido nas diversas vistas visitas às comarcas, de quem temos notícia via telefone, tem sido o de tentar denegrir a chapa 2 - MOVIMENTO INDIGNAÇÃO, afirmando que é formada por membros cujo prática de "desrespeito" seria notória e que sua eventual vitória seria o retorno a um passado de pretenso isolamento do sindicato pelo patrão (que fechou as portas para a direção do Sindjus-RS nas gestões autoritárias e anti-sindicais dos desembargadores Marcão e Armínio).

Nos pintam como se fôssemos o próprio demônio, com chifre, rabo e tridente, e ainda tentam nos imputar suas críticas à gestão passada do sindicato (2004-2007), como a de que a entidade estaria pagando pesadas indenizações em razão de inábil publicação de listas de nepotismo no Tribunal, realizada por aquela gestão. Sobre este último fato é necessário esclarecer, muito embora não possamos falar em nome da diretoria criticada, que a publicação se deu em razão de decisão soberana e estatutária da categoria no II Conseju (Congresso Estadual dos Servidores da Justiça), votada em plenário, ironicamente, por proposta de uma atual diretora do sindicato (ligada à chapa oficial, portanto), a companheira Rosimeri Pedrassanis.

Mas, seja como for, somos uma chapa nova, com idéias novas e candidatos novos, que não possui nenhuma ligação nem responsabilidade com as atitudes das direções antecedentes do sindicato. Prova disto é que não consta em nossa nominata nenhum ex-diretor do período 2004-2007, com exceção do companheiro Jorge Dantas, cuja linha política era invariavelmente voto vencido na antiga diretoria e contra cuja atuação à frente da Secretaria de Política e Formação Sindical, especialmente no Núcleo contra a Discriminação de Gênero e Raça, foi impecável.

Aliás, se alguém representa o passado, é justamente a chapa que pretende "seguir" nos fazendo engolir reajustes injustos e díspares, bem como perdendo anos em conversas inócuas nos gabinetes do Palácio da Justiça, sem nenhum avanço em nossas condições salariais e de trabalho. É notório que a gestão empossada em 2007 é composta por um grupo de pessoas que mantém continuidade com os mesmos que dirigiram o Sindjus-RS de 1991 a 2004, como o ex-presidente João Vítor Domingues, casualmente coordenador geral da bancada do PT na Assembléia Legislativa, e ex-assessor do deputado Flávio Koutzii, parlamentar este que teve o privilégio de assessorar o desembargador Armínio na última gestão do Tribunal.

R_gis__secretaria_geral___Simone_Nejar__demitida_por_denunciar_o_nepotismo__M_lton__imprensa__Tina_Forma__o_Sindical__Bira__coordenador_geral__e_Valdir_Bergmann__finan_as_

acima: Régis (secretaria geral), Simone (demitida por denunciar
o nepotismo), Mílton  (imprensa), Tina (formação sindical),
Bira (coorddenação geral) e Valdir Bergmann (finanças)

O que nos caracteriza, e faz com que o Movimento Indignação tenha vindo para ficar, desde sua fundação em agosto de 2008, é, ao contrário de TODAS as direções anteriores do sindicato, a completa independência da influência de partidos, governos e do patrão. A total ausência da intenção de aparelhar o sindicato em favor de outros compromissos que não o de representar e defender EXCLUSIVAMENTE os interesses e necessidades dos trabalhadores da justiça. E talvez seja justamente o fato de sermos uma corrente de cara nova, e diferente das velhas práticas, que assuste os candidatos da situação, e os faça perder o tom e o próprio decoro, na crítica desbravada aos seus oponentes.

Quanto às acusações de desrespeito, baderna e radicalismo é até ridículo responder. Mas o fato, público e notório, é que realmente somos radicais! Não no sentido de pregar, nem praticar o xingamento público, nem da política de apedrejamento e barricada. Temos plena consciência de que a própria greve e a paralisação, que são os grandes instrumentos de luta de qualquer trabalhador, só podem e devem ser utilizados na última das hipóteses, quando não houver mais qualquer possibilidade de negociação e que precisam, para surtir resultado e não gerar perseguições, ser construídos com uma profunda conscientização, que dura anos, da categoria.

Mas o que não admitimos e jamais faremos, se eleitos, é simplesmente desistir de negociar, abdicar de qualquer pressão, para aceitar, desanimado e cabisbaixo (ou, o que é pior, com um sorriso nos lábios) a primeira proposta injusta feita pelo Tribunal de Justiça. Tenham certeza os eleitores que nos haveremos de comportar, nas negociações com a presidência do Tribunal, com a maior polidez e educação. Seremos mesmo de uma finesse digna de madame parisiense. Mas seremos contundentes e absolutamente radicais na exigência dos direitos da categoria, do que é justo e garantido por lei ou simplesmente necessário ao atendimento de sua dignidade. Não precisaremos proferir xingamentos, nem palavrões, porque teremos a força, a confiança e a determinação da categoria que representaremos em nossa retaguarda, pois, se nos elegermos, com toda dificuldade prática que enfrentamos, será porque a maioria confia na nossa liderança e acredita na pureza e firmeza de nossos propósitos.

Coragem_endurecida11

Mas a prática de desqualificação praticada por nossos concorrentes não é nenhuma novidade, nem entre eles, nem no partido e na central a que são ligados. Normalmente, quando não conseguem contraditar o adversário no campo da lógica e da verdade, partem para a desqualificação moral dele, a fim de que o seu discurso não seja ouvido ou seja entendido de forma distorcida.

Não se deixe iludir, nem manipular, eleitor! Se a chapa 1 nos caracteriza como uns "porra louca" é justamente por que representamos o novo, o moderno, a vontade e os desejos livres e democráticos dos trabalhadores da justiça. E por que o comportamento de seus candidatos, à frente da administração do sindicato, não tem sido dos mais exemplares e dignos para um sindicalista, o que se viu de forma contundente na última "campanha salarial", em que sequer tiveram vergonha de organizar uma reunião às pressas, e nela usar de todos os argumentos irracionais, e dos piores apelos emocionais, para forçar os representantes presentes a aceitar um reajuste pela metade (4,76% para nós contra 8,88% para a magistratura), conforme, possivelmente, já tivesse acordado em segredo com o Tribunal.

Por isto, para mudar todo este cenário de aceitação muda e colaboração com as mazelas financeiras e funcionais que vivemos, para que possamos um dia, pelo menos, recuperar toda a inflação que corrói nossos salários, trabalhar em ritmo suportável e num ambiente de respeito mútuo e incentivo, no próximo dia 12 de maio

Movimento_Indigna__o_ADESIVO


Envie convite a seu(s) amigo(s) para visitar este blog

Chapa 2 não poderá visitar a maior parte das comarcas

A Chapa 2 - MOVIMENTO INDIGNAÇÃO - por um Sindjus Independente, Democrático e Combativo - comunica aos eleitores e apoiadores que, infelizmente, já decorridos 23 dias do início da campanha eleitoral, e faltando apenas 8 dias para o pleito de 12 de maio, não poderá comparecer pessoalmente à enorme maioria das comarcas do Estado para expor seu programa, esclarecer suas posições e ouvir as reivindicações, sugestões e contrariedades dos companheiros como era de sua vontade e índole.

Por absoluta falta de recursos financeiros, nossa presença, em 90% do território gaúcho se restringirá ao material impresso enviado pelo correio e aos e-mails e matérias divulgadas neste blog através dos meios eletrônicos. A frieza do contato só será amenizada pela abordagem pessoal de nossos candidatos lotados no interior do Estado, se restringindo os principais nomes da chapa ao raio de distância que permitem suas carteiras. O que é decorrência direta da nossa posição de independência, sem concessões, de partidos, de patrões, governos e correntes sindicais organizadas acima das necessidades e anseios reais dos trabalhadores da justiça.

Ao contrário do oponente, que conta, no mínimo, com as facilidades de qualquer grupo que administra uma entidade (no que não vai nenhuma insinuação de corrupção), além do partido e da central sindical a que se vinculam, nosso único e grande patrimônio é a autenticidade de nossa ação e pensamento e nossa vontade de mudar as coisas no Sindjus-RS, para que, através de um novo sindicato, possamos, quem sabe, dobrar a má vontade do Tribunal de Justiça e forçá-lo a nos dar uma vida digna de gente.

Prova disto é a qualidade de nosso principal material de campanha: um panfleto em formato A-4 impresso em preto e branco, cujo contraste com os ricos materiais da situação não deveria nem ser mencionado para não parecer demagogia! Se nos restringimos a ele, entretanto, não é por uma questão de marketing matreiro, mas pela pura penúria em que nos encontramos, como a grande maioria dos servidores, para fazer qualquer coisa diferente daquele churrasquinho dominical no quintal da casa dos avós da piazada.

Mas, além dos fatores comuns a qualquer grupo de servidores revoltados que pretendam tomar nas próprias mãos o seu infeliz destino de peões pouco valorizados e sofridos, tivemos alguns incrementos especiais do patrão Judiciário. Líderes inconformados e sem temor como Valdir Bergmann, Bira e Mílton foram simplesmente agraciados com a falência financeira decorrente de retaliações políticas a denúncia das práticas nepotistas e autoritárias da administração antecedente do Tribunal de Justiça, com "punições" ilegais como a suspensão por sessenta dias, incluindo a perda de metade dos vencimentos, que, aliada aos tantos empréstimos consignados, resultou em salário nenhum!

Fomos, evidentemente, procurados por alguns partidos e centrais sindicais concorrentes dos que apóiam a infrutífera e auto-suficiente gestão do Sindjus. Mas o preço de seu apoio seria quase igual ou mais caro do que a simples desistência ou traição dos instintos de reivindicação pura e dignidade que nos inspiram.

E, para nos mantermos fiéis a nós mesmos e à solidariedade prática com cada servidor oprimido, mal pago e frustrado, que, apesar de tudo, dá o couro na prestação diária de serviços à comunidade, preferimos nos expor à possibilidade de ver derrotada a chapa, e o projeto de redenção de toda categoria que ela carrega consigo, do que curvar a espinha à indecência e à venda sem preço dos mais caros e autênticos desejos e sofrimentos dos servidores da justiça, enquanto seres humanos, feitos de carne, ossos e emoções, frente à uma inumana realidade de doação sem retorno e sem valorização no serviço do Poder Judiciário!

Contamos assim, nós a quem o destino deixou o penoso privilégio de representar a oposição à traição pensada e pérfida do sindicato ao seu maior fim, que é o de defender os trabalhadores do judiciário, apenas com nosso inconveniente destemor e com a consciência do companheiro servidor e eleitor, que, se quiser, poderá começar uma verdadeira revolução no próprio quotidiano, se juntando a nós nesta luta inglória por um mínimo de dignidade. Por isto, no dia 12 de maio

Movimento_Indigna__o_ADESIVO


Envie convite a seu(s) amigo(s) para visitar este blog

Posté par movim INDIGNACAO à 01:00:00 - - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , , ,

04-05-2010

Valorizar e qualificar também o Servidor da Justiça

Uma das PROPOSTA da Chapa 2, que tem concorrer Direção do Sindjus No dia 12 maio, e o Orçamento do TJ exigindo disputar o Mesmo EAo Magistrados Tratamento oferecido, visto OS mesmos tiveram que, a partir de volta Subsídios da implantação, UM Aumento nd Ordem em 70% o vencimentos SEUS Acréscimo parte da ÚLTIMA reposição 8,88% além retroativa foi setembro de 2009, Além da Concessao DO AUXÍLIO parte da para-Moradia Magistratura, tendão em vista a época da SUA incidêncIA.

Analisamos, a partir das Informações na Internet disponibilizada o Tratamento Pela Administração da Justiça oferecido Federal da 4 ª Região EAo Servidor SEUS.

ESTÁ UM Disponível comparativo entre o salario medio de volta Magistrados e Servidor:

Magistrados:

Subsídio de volta Titulares: R $ 22,285.15;

Subsídio de volta Substitutos: R $ 21,010.41.

Servidor:

Analista (nível superior): R $ 12,710.88;

Técnico (nível médio): R $ 8,149.03;

Auxiliar: R $ 7,349.96;

Diretor de Secretaria (equivalente ao Escrivão): R $ 17,099.08;

Oficial de Justiça / Avaliador: R $ 14,193.35.

Outra Informação revelada um Ser importante que em uma Trata É da Diferença entre o Maior EO salario menor dos Magistrados da Justiça e Servidor Federal, Atividades, Sendo hum Magistrado Percebe que nenhum Máximo R $ 25,725.00 e não Mínimo R $ 20,953.17; e hum Servidor Percebe No máximo R $ 25,725.00 e não Mínimo R $ 4,052.96.

Tais Dados São o Suficiente é demonstrar Tratamento Pela Que É dispensado Administração da Justiça Federal EAo Servidor SEUS.

Voltando OS salarios dos Olhos de volta à Realidade Servidor da Justiça Estadual que não estao Disponíveis Portal da Transparência sempre, verificamos Como salario medio (considerados OS DADOS da entrância intermediária):

Escrivão: R $ 6,473.84;

Escrevente: R $ 2,569.89;

Auxiliar: R $ 1,314.95;

Oficial de Justiça: R $ 5,798.44.

É Fácil constatar que estao Os Nossos salarios Muito Abaixo dos salarios Pagos EAo Servidor que exercem Funções NA MESMA ter Justiça Federal, razão Pela verificamos qua quadros enormes dos Nossos Evasão Para a Justiça Federal, na atualidade.

Outro aspecto relevante apresentar E tem nenhum tocante tem Evolução do numero de Processos Distribuídos Ultimos 10 anos nosso nd Justiça Estadual. Segundo dados do Relatório Anual de 2008, distribuídos em 1.999 Processos Foram 1.090.455, em 2008 Foram Sendo como Processos Distribuídos 2.716.967, ou seja, para dez anos o nosso Ultimos triplicaram Processos ossos, Muito Embora, constatar Fácil Seja que o numero de Servidor Sempre faça em Crescimento Este percentuale acompanhou Não 300%.

Alias, Quando defendemos o provimento dos cargas de Vagos, ainda com o base no Quadro de Fizemos dez anos Atrás de Servidor. Quando, em Verdade, Precisamos implementar, Imediata forma, cargas Além do provimento dos Vagos, a Criação de Novos cargas, invencível atEnd n pediu que enfrentamos Trabalho Diariamente.

Oh, o que é clo, em Razão disso, e Uma categoria adoecida Pela sobrecarga de trabalho, agravada, em Muito, Pelo Fato de convivermos com uma Diretamente toda forma Conflito social expressada litigiosidade contraditório Pela DAS. Importante destacar, também, o NÚMERO Servidor de e Estagiários atuando no Sempre na atualidade: Ativos Servidor 7904 e 2163 Somos remunerados Estagiários ou seja, para 27,4% do total preenchidos Quadro estao Por Servidor Estagiários, ocorrendo Verdadeira "Prestação da estagiarização" dos Serviços sabiamente. Estes Dados constante no aludido Portal da Transparência sempre.

Outro aspecto relevante da inexistência É o Plano de Carreira Para os Servidor da Justiça Estadual 1 º Grau. Esperamos que Administração do TJ UM Apresenta Plano de Carreira e que Valoriza o Servidor que Seja motivador Qualificação Profissional do SUA, PORQUE UM Queremos prestar Serviço Público qualificado de Cidadania e, principalmente, PORQUE Acreditamos Tanto que tem uma Justiça Federal Estadual Quanto estao um Serviço Nossa Senhora da Sociedade.

Cláudio Machado Fernandes

Foro Regional do Representante do Presidência do Conselho de Representantes no Partenon de Comarcas, eleito.

                                                      MAGISTRADOS

 

Situação NaturezaValor Medio

Titulares Subsídio R $ 22,285.15

Substitutos R $ 21,010.41 Subsídio

Aposentados Provento R $ 22,346.18

Pensionistas Pensão R $ 22,055.97

Servidor - Media remuneratória

Situação Natureza Valor medio

Analista (Lei n º 11.416/06, arts. 2 º e 8 º). Remuneração R $ 12,710.88

Técnico (Lei n º 11.416/06, arts. 2 º e 8 º). Remuneração de R $ 8,149.03

Auxiliar (Lei n º 11.416/06, arts. 2 º e 8 º). Remuneração de R $ 7,349.96

 

Diretor de SecretariaRemuneração R $ 17,099.08

Oficial de Justiça Avaliador Federal

(Analista)                                                         Remuneração R $ 14,193.35

Aposentados ProventoR $ 15,500.73

Pensionistas Pensão R $ 9,587.84

Servidor - Maior e menor Remuneração SJPR

em Atividades Magistrado Maior RemuneraçãoR $ 25,725.00

em Atividades Magistrado Menor Remuneração R $ 20,953.17

Atividades em Servidor Maior RemuneraçãoR $ 25,725.00

Atividades em Servidor Menor Remuneração R $ 4,052.96

Servidor aposentado Maior Remuneração ProventoR $ 25,725.00

Servidor aposentado Menor Remuneração Provento R $ 2,267.40

Observações:

a) Bases de Dados:

- Os valores foram obtidos Acima da Folha a partir de um Janeiro/2010 Normal, calculados media aritmética simples dos Valores Pela AO MÊS atinentes subsídio, Remuneração, Pensão Provento fazer e em referência;

- Subsídio de volta Magistrados Lei n. º 11.143, de 26/07/2005 e Lei n. º 12.041, de 2009/08/10;

- Remuneração de volta Servidor: Lei n. º 11.416, de 15/12/2006, 6 ª parcela leis, e das demais concessórias Vantagens pecuniárias apresentou NAS Folha de Pagamento (ADICIONAIS, Gratificações, etc fnic's)..

b) Contribuição previdenciária:

- Sobre o valor do Subsídio de Magistrado (Lei n. º 11.143, de 2005/07/26), 11% tem Desconto de Contribuição Previdenciária Título Lei n. º 10.887/2004, art. 4 º

- Sobre a Remuneração Servidor de volta, uma parcela excluída a retribuição referida Exclusiva Pelo Exercício de Função comissionada em comissao ou carga, 11% tem Desconto de Contribuição Previdenciária Título Em termos da nossa Lei n. º 10.887/2004, art. 4 º

- Há Incidencia da Contribuição Previdenciária Sobre Proventos e Penso, consistente preceitua o art. 5 º da Lei n. º 10.887/2004, 11% com Incidencia Sobre a parcela que exceder o limite estabelecido Máximo Para os Benefícios do regime geral de Previdência Social (STF, ADIN n. º 3.105 de limite e 3128) ou a dessecação Sobre o dobro OS n º casos de Doença incapacitante (CF/88, art. 40, § 21, com redação dada pela CE n. º 47/2005), consistente em lei Definido.

c) Imposto DE RENDA NA FONTE (IRRF):

- Já os verbos em geral remuneratórias SOFREMAS Incidencia de IRRF, disciplina constante do Decreto n º coerente 3.000, 26 de Março de 1999, arts. 620 seguintes, com Aplicação da tabela constante da Lei n. º Lei n. º 11.482, de 31/05/2007.

d) DA COMPOSIÇÃO DOS Remuneração Servidor:

- Cargo O Servidor É Composto Pelo volta Vencimento acrescido da Gratificação de Atividades Judiciária; tem Remuneração e Vencimento Pelo compostáveis, acrescido de Gratificação Judiciária e demais Atividades Vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei (Lei n. º 11.416, de 15/12/2006, arts. seguintes 11);

- Constituem Vantagens pecuniárias: Adicional por Tempo Serviço, fnic / Quintos, Vantagem Pecuniária Individual, ou Função Comissionada Cargo em COMISSÃO, Gratificação Especial de Localidad, Adicional de Insalubridade, Adicional de Periculosidade, Gratificação de Atividades Externa (EAG) Gratificação de Atividades de Segurança (GAS), Adicional de Qualificação, Abono de Permanência e Outros;

- Ter e gratificações GAE GAS (reforma de retribuição Oficial de Justiça EA Segurança Officer), instituídas Pela Lei n º 11.416/06, com parcelas de São inacumuláveis Em função comissionada COMISSÃO e cargueiro (arts. 16, § 2 º e 17 § 2 º da referida Lei) o Adicional de Qualificação inacumulável e Com. Função Integral (FC / YC).

Dados Atualizados em 18/01/2010, Seção de Pagamento Por de pessoal_NGF ..

Voltar ao topo do Blog